Novidades

Novidades
ERP: a principal ferramenta de controle financeiro corporativo

ERP: a principal ferramenta de controle financeiro corporativo

Software de Gestão

A tecnologia pode ser de grande apoio para que empresas tenham um maior controle sobre o seu fluxo financeiro. Com o investimento nas ferramentas de TI corretas a empresa consegue diminuir o desperdício de recursos e ter uma rotina de gestão mais abrangente e segura. Veja abaixo a solução que pode ser utilizada com esse objetivo!

Sistema de gestão integrada (ERP)

O sistema de gestão integrada, também conhecido como ERP (sigla para o termo em inglês Enterprise Resource Planning), é uma ferramenta para a administração automatizada e que pode ser integrada a todas as áreas de controle da empresa.

Das rotinas de contenção de despesas aos processos de fluxo de estoque, o ERP tem um papel-chave, reduzindo custos, eliminando erros e dando mais automação para o profissional da área.

O ERP pode ter um papel-chave em vários processos corporativos, especialmente aqueles que podem ser beneficiados com a integração corporativa. Na gestão de estoque e planejamento de compra de matérias primas, por exemplo, o ERP pode ser implementado para otimizar a aquisição de novos recursos. O setor de compras conseguirá identificar melhor a quantidade de itens disponíveis no estoque. Evitando a aquisição de itens que não são necessários ou a falta de materiais críticos. Dois fatores que podem impactar diretamente na rentabilidade do negócio.

Sistema contribui para áreas de vendas e de marketing

Já a área de vendas e marketing obtém uma visão abrangente sobre o modo como as receitas de um item varia a cada mês. Dessa forma, a criação de uma campanha de marketing pode ser estruturada de uma maneira mais inteligente, evitando que a empresa invista na divulgação de um produto no momento em que a sua venda é, historicamente, menos favorável.

Indiretamente, as estratégias de vendas podem ter um papel-chave para que a empresa possa manter um controle financeiro mais eficaz. Uma vez que o time de vendas consegue identificar o melhor momento para a venda de uma mercadoria, as chances da companhia direcionar recursos para a fabricação de produtos que têm pouca vazão será muito menor.

Dessa forma, o negócio garante o máximo de aproveitamento para as suas estratégias.

O ganho de automação também será fundamental para que a empresa possa diminuir o desperdício de recursos. Um bom software de gestão permite um fluxo de dados contínuo e em tempo real entre vários setores.

Assim, a organização consegue evitar conflitos e erros causados pela troca de informações imprecisas. Além de maximizar a produtividade de todos os times.

Torne a companhia financeiramente saudável e competitiva

O controle financeiro é crucial para que a empresa possa manter uma visão abrangente sobre dívidas pendentes. E sobre pagamentos que devem ser feitos a fornecedores e fontes de desperdício de recursos.

O negócio também consegue avaliar com precisão a melhor maneira de realizar investimentos, a distribuição de recursos e outros fatores que podem ser utilizados para otimizar as suas rotinas administrativas a médio e longo prazo.

Com uma estrutura financeira mais inteligente, a empresa conseguirá tornar-se muito mais rentável e preparada para lidar com os desafios diários da sua área de atuação. Não só a realização de novos investimentos será mais segura, mas também todos os processos de tomada de decisão. E como a sua estrutura interna estará mais preparada, a busca por novos investidores e parceiros comerciais será feita com mais segurança e sucesso.

Equilíbrio perfeito para alcançar metas

Em outras palavras, o controle financeiro é uma estratégia administrativa que dá ao empreendimento um equilíbrio perfeito entre um fluxo de investimentos inteligentes e uma rotina administrativa bem estruturada. A companhia conseguirá corresponder às demandas do mercado sem grandes dificuldades, uma vez que os riscos de insolvência serão muito baixos.

Consequentemente, a sua capacidade de criar oportunidades de vendas será alta o bastante para que todas as metas de médio e longo prazo sejam alcançadas.

O orçamento de uma empresa é algo vivo. Ele muda conforme as suas metas, os processos internos e o modo com o empreendimento pretende se posicionar diante das mudanças do mercado.

Contudo, para que a companhia passe por todas essas mudanças e consiga atingir as suas metas de médio e longo prazo, é fundamental ter um bom controle financeiro. Com um orçamento bem controlado, é possível definir investimentos sem riscos, avaliar os locais em que há desperdícios e garantir a rentabilidade esperada para a companhia. Ou seja, a boa gestão financeira é a chave para se ter uma companhia saudável e capaz de enfrentar todos os desafios existentes.

Entenda o que é controle de estoque

Entenda o que é controle de estoque

Automação, Tecnologia

Você sabe exatamente o que é controle de estoque? Empresas de todos segmentos devem aproveitar ao máximo todos os benéficos que o controle oferece para a administração. Aliás, você sabe que o estoque é muito mais que o espaço onde as suas mercadorias são armazenadas?

Se a sua resposta for negativa, não se preocupe, pois não é só você que desconhece a importância desse setor. Além disso, nunca é tarde demais para colocar em prática a otimização do controle de estoque.

E se você deseja descobrir como fazer isso, continue lendo este artigo e aprenda tudo sobre o que é o controle de estoque a partir das informações contidas nos tópicos a seguir:

Afinal, o que é controle de estoque?

Controle de estoque consiste em realizar a gestão de itens, ou seja, registrar o fluxo de mercadorias, tanto as que entram como as que saem. Afinal, é no estoque onde ficam os artigos que serão posteriormente vendidos, se forem fabricados pela própria empresa, ou revendidos.

Dessa forma, controlar o estoque é identificar as movimentações do setor, inclusive, a quantidade de cada artigo. Também é importante, ao entrar os produtos no setor, que se sejam registradas outras informações, como as suas características.

Com isso, é possível armazenar as mercadorias de acordo com o seu tamanho, peso, cor, formato e demais atributos que variam de segmento para segmento. Esse detalhamento ajuda na organização e na hora de vender.

Vantagens do controle de estoque

Mas por que manter o estoque organizado e controlado? Isso não é apenas perda de tempo? Quem pensa dessa forma está completamente enganado, sendo que as vantagens do controle de estoque são inúmeras. Confira cada uma delas a seguir:

Aproveitamento e organização do espaço

Quando uma empresa possui controle de estoque, a vantagem mais visível é contar com um setor onde as mercadorias estão bem armazenadas. Além de ter um melhor aproveitamento do espaço físico, é possível encontrar os artigos com muito mais rapidez.

Isso permite uma equipe mais produtiva, vendas mais ágeis e, por consequência, um maior volume de vendas.  E mais, com a organização promovida pelo controle de estoque, as mercadorias ficam bem arrumadas, evitando danos e perdas.

Aumento da eficiência e produtividade da equipe

Quando se faz uso das ferramentas adequadas para controlar o estoque, é possível ainda ter uma equipe mais produtiva e eficiente. Isso ocorre porque, ao informatizar o setor, evita-se o trabalho manual, que pode tornar qualquer tarefa muito mais dispendiosa.

Com a otimização da gestão de estoque é possível fazer mais, em menos tempo, sem perder em qualidade, permitindo também que a sua empresa tenha uma equipe enxuta para dar conta do setor. Além disso, com a informatização dos dados, a margem de erros é menor.

Aliado do setor de compras

Quando é feita uma gestão apropriada do estoque, o setor de compras também é beneficiado. Afinal, ao ter um controle rigoroso das movimentações, sabe-se quando é preciso compra mais mercadoria para que não falte em estoque.

Se elas faltarem, corre-se o riso de até mesmo ocorrer a perda de vendas. Por outro lado, quando são comprados artigos para revender em quantidade maior do que o necessário, o seu negócio pode ter prejuízos. Isso porque se adquire itens que ficam parados, sem saída.

Aliado dos setores de vendas 

O controle de estoque é um grande aliado de outros setores, como o de vendas , pois, da mesma forma que ajuda nas compras da empresa, permite que se conheça melhor o comportamento dos clientes. Isso deve ser usado de maneira estratégica.

Em outras palavras, ao registrar as entradas e as saídas do setor, é possível identificar os itens mais vendidos, em que épocas do ano eles são mais procurados, além de saber quais produtos são pouco comercializados. Eles podem estar só pegando pó e causando prejuízo.

Com essas informações, podem-se desenvolver campanhas mais assertivas, divulgando com mais ênfase os produtos preferidos do seu público. Por outro lado, podem realizar promoções com os itens menos procurados para queimar o estoque.

Ao acompanhar o comportamento dos consumidores é possível até mesmo identificar quais artigos estão saindo de linha e não vale mais a pena adquiri-los. De forma semelhante, o seu negócio consegue prever tendências e ser o primeiro a oferecer a novidade no mercado.

Aliado do setor financeiro

O setor financeiro também se beneficia com a otimização do controle de estoque. Afinal, ao se evitar a compra de mercadorias que não seriam vendidas em breve, o dinheiro economizado pode ser convertido em artigos que realmente serão procurados.

Esse dinheiro pode ainda ser destinado a suprir outras necessidades que a sua empesa possui no curto prazo. Ou seja, é consegue-se investir de maneira inteligente, mantendo o fluxo de caixa em dia. Assim, não se corre o risco de faltar dinheiro para o que é urgente.

Benefícios do ERP para o estoque

Já que as empresas com estoque, em geral, possuem um grande volume de mercadorias, é necessário que a sua equipe tenha acesso às ferramentas adequadas para gerenciar o setor. Papel e caneta não oferecem a eficiência que o seu estoque deve ter para ser bem controlado.

Portanto, é preciso usar uma ferramenta que informatize os dados, conecte os setores e automatize os processos. Nesse sentido, o ERP é uma ótima solução, pois atende a todas as demandas do controle de estoque.

Trata-se de um sistema de gestão empresarial que, através do seu módulo de controle de estoque, não só registra as movimentações do setor, como também oferece inventários e relatórios. Esses documentos apresentam informações completa e atualizadas.

Dessa forma, contribui com a tomada de decisões. Também garante mais produtividade a sua empresa, pois assim que um artigo é vendido, por exemplo, o estoque recebe a baixa do artigo. Esse procedimento garante a confiabilidade dos dados.

Afinal, qual é a importância dos softwares de gestão?

Afinal, qual é a importância dos softwares de gestão?

Software de Gestão

Inevitavelmente, a tecnologia vem ganhando cada vez mais espaço no meio empresarial. Partindo dessa afirmação, independentemente do tamanho da sua empresa, adotar softwares de gestão é uma importante iniciativa para quem deseja economizar tempo, ter informações precisas, assertivas e com agilidade.

É importante ver a iniciativa com um investimento em seu negócio, que trará benefícios a todas as áreas da empresa, promovendo um melhor controle e análise de dados, o que contribuirá para a tomada de decisões importantes.

O objetivo deste post é apontar os principais benefícios e a importância de possuir um software de gestão eficaz para o seu negócio. Acompanhe!

O que é um software de gestão

Basicamente, um programa ou software de gestão é um programa de computador que ajuda os gestores e funcionários a cuidarem das atividades administrativas de uma empresa. É um programa inteligente que tem como objetivo facilitar e integrar essas atividades, automatizando o máximo de processos sempre que for possível.

Confira agora algumas vantagens e benefícios da utilização de softwares de gestão.

Precisão nas informações

Quando os controles de informação são feitos de modo manual, o risco de erros é muito maior. Um software confere mais confiança a estes processos, uma vez que, tendo inserido os dados, o próprio sistema faz os cálculos e apresenta relatórios com as informações necessárias à tomada de decisões por parte dos gestores.

Integração das informações

Além de fornecer informações corretas e precisas, o sistema de gerenciamento permite que todos os dados sejam lançados apenas uma vez, possibilitando que diferentes áreas da empresa compartilhem as mesmas informações, sem a necessidade de ter que alimentar os setores individualmente. Essa prática evita retrabalhos desnecessários.

Softwares de gestão atuam na centralização de dados, reduzindo o tempo para realização de consultas a documentos eletrônicos, pois permitem que todas as informações pertinentes à empresa sejam inseridas detalhadamente de uma maneira descomplicada e ágil.

Isso acontece porque a utilização desse tipo de programa elimina a necessidade de gastar tempo com a preparação, formatação e lançamento individual de cada arquivo. Com os modelos previamente editados, essa tarefa fica eliminada da rotina diária de trabalho.

Outra vantagem da integração de informações que os softwares de gestão proporcionam é a identificação de dados duplicados. Quando um colaborador inserir arquivos já adicionados anteriormente, o sistema acusa essa duplicidade, evitando desperdício de tempo.

Tomada de decisão rápida e assertiva

De posse dos dados emitidos pelo sistema, que, como já vimos, são precisos, seguros, confiáveis e integrados, o gestor adquire uma grande facilidade na tomada de decisões em relação a fornecedores, investimentos e expansão.

O software controla e gera os relatórios que permitem analisar um determinado cenário de forma precisa, rápida e assertiva.

Segurança no armazenamento de dados importantes

Todas as informações relevantes para as empresas estarão consolidadas no mesmo lugar. O cadastro de fornecedores e clientes, fluxo de caixa, controle de estoques e registro de funcionários estarão todos unificados na base de dados do software.

Sendo assim, é possível efetuar backups de modo que a empresa não perca dados importantes de gestão, independentemente de qualquer evento inesperado que venha a ocorrer, tais como: queda de energia elétrica, picos de eletricidade, ou até mesmo acidentes e eventos indesejáveis.

Redução de custos

Apesar dos softwares de gestão serem um investimento que acarretará o pagamento de mensalidades, ao implantá-los o gestor poderá notar uma considerável redução em outros custos da empresa.

É possível reduzir o número de funcionários do setor administrativo, diminuir gastos com impressões ou locomoção — no caso de empresas que precisam enviar dados a outras localidades — entre outras medidas.

Com todas essas vantagens, você já deve ter percebido que o investimento em um software de gestão representa uma mudança muito positiva na operação e administração de uma empresa, não é mesmo?

Porém, mais importante que escolher um programa integrado de gestão eficaz é contratar uma equipe especializada para a implantação e manutenção desse sistema.

Uso online para monitoramento e intervenções à distância

Hoje em dia, cada vez mais as empresas incentivam seus funcionários a trabalharem em sistema home office, o que representa uma redução importante nos custos fixos de qualquer organização. Além disso, com o mundo globalizado, é muito comum fazermos negócios em muitos lugares do mundo, o que exige que colaboradores se deslocarem a todo momento.

Aqui está outra razão fundamental para o emprego de softwares de gestão: por ser online, o acesso ao sistema pode ser realizado de qualquer lugar a qualquer momento. Isso vale tanto para os funcionários quanto para o empreendedor, que é capaz de gerenciar seu negócio, não importa onde ele esteja.

Mesmo sem o computador, muitos softwares de gestão possuem adaptações para outros dispositivos móveis, como tablets e smartphones. Existem até mesmo opções que contam com aplicativos próprios para facilitar ainda mais o acesso remoto.

Controle financeiro e de funcionários

Para mapear seus resultados de venda, é imprescindível que os registros das negociações comerciais sejam feitos diariamente e de forma eficiente. Os softwares de gestão representam um grande auxílio nessa tarefa.

Além de ajudar na organização dos dados, o sistema proporciona a geração de gráficos e planilhas, de modo a otimizar a gestão financeira por meio da visualização dinâmica de todas as informações pertinentes para suas tomadas de decisões.

A melhora na gestão de recursos humanos também é uma realidade. O empreendedor estará munido com a frequência de seus funcionários, índices de produtividade e valores da folha de pagamento na distância de alguns cliques.

Mais 5 benefícios da utilização de softwares de gestão

  1. Otimização do controle de equipes e canais de venda com vendedores sempre atualizados em tempo real sobre o estoque disponível;
  2. Diminuição do retrabalho e identificação de falhas — seres humanos erram e, por isso, existem sistemas para apontar imprecisões. Como tempo é dinheiro, evitar que tarefas sejam feitas de forma errônea ou em duplicidade representa economia para seu negócio;
  3. Melhor conhecimento do capital de giro com informações assertivas para o funcionamento das operações do seu negócio;
  4. Integração de todas as áreas da empresa com visão 360º das demandas internas e externas;
  5. Facilidade de fiscalização por meio de transparência e segurança na gestão fiscal que mantém a empresa devidamente regularizada junto aos órgãos públicos — como o Ministério do Trabalho e a Receita Federal.

Como você pode perceber, neste post mostramos como a utilização de softwares de gestão impacta positivamente no desempenho de uma empresa e no auxílio às tomadas de decisões do empreendedor.

Como melhorar o controle de custos em restaurantes?

Como melhorar o controle de custos em restaurantes?

Automação

Uma das tarefas mais difíceis enfrentadas pelos donos ou gestores de restaurantes é a gestão financeira e o controle de custos. Monitorar e gerenciar todos os gastos de um negócio e manter as contas dentro de valores previamente estipulados não é nada simples. Isso porque um restaurante pode enfrentar diversos imprevistos, fazendo com que as despesas superem o planejado.

Realizar o controle de custos em restaurantes envolve controlar o caixa, gerenciar os funcionários, negociar com fornecedores, monitorar o estoque e diversas outras funções. Todos estes detalhes impactam as finanças do negócio, sendo essenciais para o sucesso do estabelecimento.

Caso esteja em busca de formas de melhorar o controle de custos em seu restaurante, este post é pra você! Confira a seguir e veja como gerenciar as finanças e assegurar os lucros!

Mantenha um bom relacionamento com os fornecedores

Deseja reduzir os gastos com a compra de alimentos, produtos e materiais? Então é muito importante manter o contato contínuo com os fornecedores, garantindo assim um bom relacionamento e auxiliando nas tratativas.

O bom relacionamento com os parceiros permite que os gestores dos restaurantes negociem melhor os contratos e consigam obter melhores condições de pagamento. Isso ajuda a reduzir os gastos com compras, favorecendo os lucros do negócio.

Padronize os processos

Para controlar melhor o restaurante e todos os seus custos, uma ótima dica é padronizar todos os processos internos. Desenvolvendo procedimentos a serem seguidos, é possível garantir que todos os funcionários realizem as tarefas devidamente.

Além de evitar que sejam feitos alimentos diferentes ou atendimentos sem padronização, isto garante que os processos sejam realizados da forma mais barata.

Controle o estoque

Todos os gestores sabem que muitos itens estocados representam “dinheiro parado” e, consequentemente, fluxo de caixa retido. Além disso, quando se trata de restaurantes, têm-se muitos alimentos perecíveis e produtos com data de validade armazenados, o que exige cuidados especiais e um controle mais detalhado. Por isso, deve-se evitar armazenar muitos itens.

Também é muito importante que seja feito o controle por data de validade sempre que produtos forem estocados. Não controlar o estoque corretamente pode levar à perdas e impactar as contas do restaurante.

Liste os custos fixos e variáveis

Para controlar os custos de um restaurante, é preciso conhecê-los. Por isso, todos os gestores e proprietários necessitam apontar todos os custos fixos e variáveis do estabelecimento.

Os custos fixos são todos os gastos que o estabelecimento tem que arcar mensalmente para manter sua operação, como, por exemplo, a folha de pagamento dos funcionários.

Já os variáveis são todos os custos que oscilam, como contas de luz, água, compra de alimentos entre outros. Estas despesas variam de acordo com a demanda ou uso, podendo ser racionados e gerenciados, fazendo com que os lucros sejam potencializados. Sendo assim, os gestores dos restaurantes devem buscar maneiras práticas de reduzir os custos na empresa.

Monitore o fluxo de caixa

Por último, para melhorar o gerenciamento de custos de um restaurante é fundamental que seja feito o controle do fluxo de caixa. Ao monitorar as entradas e saídas, é possível acompanhar quanto se tem disponível para investimentos e melhorias. Esta atitude também permite que sejam detectados pontos que carecem de cuidados ou podem ser economizados.

Qual a importância da gestão de estoque para sua empresa?

Qual a importância da gestão de estoque para sua empresa?

Automação
Toda empresa que fabrica e vende produtos precisa ter um estoque bem organizado e isso só é possível quando o empresário entende a importância da gestão de estoque, que abrange desde a escolha do tipo de armazenador que a empresa vai utilizar e quantos serão necessários, até a forma como eles serão organizados.

Além disso, a gestão de estoque também envolve o inventário, que deverá ser feito regularmente visando o controle de todos os insumos e matérias-primas da produção, bem como dos produtos acabados.

Neste artigo, vamos abordar a importância da gestão de estoque para sua empresa e os erros que muitos gestores cometem nessa atividade e como evitá-los. Quer entender como uma boa gestão de estoque pode influenciar e melhorar os resultados do seu negócio? Então, continue conosco!

Entenda a importância da gestão de estoque

Muitos gestores desejam aumentar a produtividade de suas equipes e ficam perdidos quanto aos processos que podem ser otimizados. Você sabia que um software de gestão integrada pode melhorar a cadeia de abastecimento garantindo que ela esteja de acordo com as necessidades da empresa?

A gestão de estoque eficiente garante uma operação estruturada entre a demanda e a oferta. Dessa forma, com os materiais organizados de maneira clara, objetiva e controlada, o tempo da produção é reduzido, aumentando a produtividade geral.

Além disso, controlar o estoque reduz os desperdícios, como avarias ou perdas. É possível, ainda, economizar com os custos para manutenção e armazenagem física, tão comuns em estoques parados.

A seguir, listamos alguns dos benefícios da gestão de estoque. Confira!

Otimizar o tempo de produção

A localização dos materiais e produtos e a quantidade correta de cada um deles asseguram que a mão de obra qualificada consiga produzir melhor. Da mesma forma, facilitar os processos de localização e contagem de matéria-prima ajudam a controlar a produção, otimizando o tempo de trabalho.

Assim, a gestão de estoque proporciona controle entre a oferta e a demanda, sendo a oferta a disponibilidade de entrega da empresa e a demanda a necessidade do cliente.

Reduzir desperdícios

Com a boa gestão do estoque é possível evitar avarias, comprar mais matéria-prima do que o necessário ou armazená-la em local inapropriado. Esses desperdícios fazem com que o investimento na aquisição desses materiais seja perdido.

Dessa forma, a localização correta dos materiais, além de otimizar o planejamento e controle de produção e minimizar o desperdício, impactam o financeiro. Viu como um processo está ligado ao outro?

Controlar gastos

Ao evitar o desperdício, o gestor economiza recursos para outros investimentos, como as estratégias de marketing, por exemplo, visando alavancar as suas vendas e captar e fidelizar clientes.

Um estoque parado ou desorganizado é sinônimo de dinheiro perdido. Isto é: não adianta você ter um estoque enorme, com compras esporádicas e sem controle, se não for para funcionar em prol da produtividade.

Além disso, problemas como a falta de matéria-prima, que gera uma compra de última hora na qual não é possível negociar os melhores preços com os fornecedores e, consequentemente, oferecer um preço mais atrativo para o seu cliente, também podem ser evitados com a gestão de estoque.

Um estoque bem organizado otimiza o seu tempo para fazer um pedido de compra e, baseado nos custos de entrada de mercadoria, calcula o custo médio por produto. O custo médio é a base na formação do preço de venda para o seu cliente final, ou seja, os custos reais de aquisição da matéria-prima.

Conheça os erros mais comuns na gestão de estoque das empresas

Depois de entender um pouco mais sobre os benefícios da boa gestão de estoque, confira os principais erros que os gestores cometem nesse tipo de atividade que você não vai cometer mais!

Ignorar o estoque mínimo

O estoque mínimo é a marcação permitida que a empresa terá em estoque dentro de determinado período. Ele também serve para identificar o giro de estoque do almoxarifado.

Vamos supor que você compre 100 quilos de um tecido Neoperene e estabeleça 20 quilos como o mínimo. Neste caso, o sistema vai informar quando o seu estoque chegar à quantidade estabelecida, sinalizando que está na hora de renová-lo.

Comprar além do necessário

Estoque é dinheiro! Com essa frase você consegue entender a importância de estudar o mercado e comprar exatamente a quantidade necessária de matérias-primas. Esse entendimento é ideal, principalmente para cobrir as coleções que são esporádicas e sempre precisam ser renovadas.

Descartar o inventário de estoque

Controle de estoque tem a ver com uma contagem rigorosa de matérias-primas e produtos acabados. O inventário de estoque deve fazer parte da gestão da indústria de confecção a fim de evitar a falta de matéria-prima e investigar os possíveis problemas como: extravio, roubos e avarias, dentre outros.

Isso vai impactar o financeiro e vão sobrar mais recursos que poderão ser investidos em outras áreas da empresa, como trocar o maquinário, por exemplo.

Desconhecer fornecedores confiáveis

Quantas empresas não conhecem a tática de negociação ganha-ganha e perdem oportunidades de ampliar a estratégia de negócios? É importante buscar e atrair parcerias com empresas que apoiem as causas sociais. Isso vai aumentar a sua credibilidade perante a sociedade e seus clientes.

Da mesma forma, contratar um fornecedor que tem zelo pela sustentabilidade é garantia de insumos e matérias-primas produzidas de acordo com os padrões rigorosos de governança corporativa. Ou seja, é uma cadeia de valor que vai refletir na entrega de confecções de qualidade para o seu cliente final.

Gerir a indústria de confecção manualmente

Um dos maiores erros cometidos pelos gestores é acreditar na gestão manual e manter os livros e planilhas financeiras preenchidas sem automatização. Ao fazer isso, a mão de obra que poderia ser utilizada para a produção fica envolvida com tarefas passíveis de automatização.

Ao entender o quanto a gestão do estoque é relevante fica fácil perceber que a sua implementação não é tão difícil quanto parece e só trará bons resultados no funcionamento geral do seu negócio. Vimos também os erros que muitos gestores cometem e que poderiam ser evitados com um investimento confiável de um software.

Automação de restaurantes: 4 vantagens que você não pode negar

Automação de restaurantes: 4 vantagens que você não pode negar

Automação

Os sistemas de gestão de negócios estão cada dia mais baratos e fáceis de serem utilizados. Em todo tipo de negócio existem soluções digitais que podem ajudar na administração e diminuição de erros.  Do controle financeiro até as funções mais operacionais, um bom software de automação de restaurantes oferece alternativas bem interessantes para que se possa reduzir os desperdícios e aumentar o profissionalismo da sua empresa.

Se você ainda não está muito certo se a automação de restaurantes vale mesmo a pena, veja esta lista de vantagens que selecionamos a seguir!

1. Agilidade no atendimento

Sem sombra de dúvidas, olhando pelo lado do cliente, um dos principais benefícios da automação de restaurantes é o aumento da velocidade no atendimento.Considerando um modelo tradicional de funcionamento, os garçons precisam passar nas mesas colhendo os pedidos e depois levar as comandas até a cozinha. Depois, voltam para buscar os pedidos e servir os clientes.

Podendo fazer os pedidos diretamente da mesa, existe uma grande economia de tempo de maneira que o garçom somente precisa ir à cozinha para buscar os pratos já preparados. A princípio isto pode não parecer muita coisa, mas, na prática, existe uma economia de tempo gigantesca.

Pense que cada vez que um cliente faz um pedido ou troca, por exemplo, a escolha do acompanhamento, o garçom precisa voltar à cozinha. Muito tempo é gasto somente para levar a informação.

Além disso, se muitas mesas estiverem ocupadas, provavelmente o garçom vai pegar vários pedidos de uma só vez, o que significa que o primeiro pedido será levado à cozinha junto com o último, o que faz com que o tempo de espera fique desproporcional, além de correr o risco de os pedidos serem preparados na ordem errada.

Tudo isso sem falar que a cozinha acaba recebendo várias comandas de uma só vez, o que sobrecarrega os funcionários.

2. Melhoria da gestão do negócio

A gestão de restaurantes feita de maneira manual, assim como qualquer outro negócio administrado desta maneira, é lenta e sujeita a falhas humanas. Por mais organizado que seu estabelecimento possa ser e por mais metódica que seja a forma de administrá-lo, sempre existirá uma margem de erro enquanto tudo não é automatizado.

Com a automação de restaurantes você conseguirá ter muito mais controle e uma visão estratégica bem melhor sobre vários aspectos.

Gestão de fornecedores

Com a automação de restaurantes você também conseguirá enxergar melhor e mais rapidamente os valores pagos a cada fornecedor, podendo assim tentar melhores negociações. Também poderá acompanhar de maneira mais profissional todas as suas compras.

Análise financeira

Todo gestor precisa estar muito bem alinhando com os seus controles financeiros internos. Saber como anda o fluxo de caixa, monitorar a inadimplência, valores totais de faturamento, margem de lucro e outras informações extremamente relevantes do cotidiano.

Fazer tudo de maneira integrada e digital vai economizar muito tempo e também proporcionará muito mais assertividade de cada um destes indicadores, já que a margem de erro dos controles manuais é bem grande se comparada a uma ferramenta de gestão automatizada.

Controle de estoque

Sem a necessidade de ficar conferindo fisicamente seu inventário o tempo todo, um bom relatório de estoque consegue te municiar com as informações necessárias para que possa montar a sua programação de compras sem correria e necessidades de última hora.

Uma boa gestão de estoque também te ajuda a evitar desperdícios com perdas de produtos por tempo de validade, roubos e acondicionamento indevido de alguns itens.

Controle da produção

Um sistema para automação de restaurantes você consegue proporcionar um melhor entendimento de como a sua produção funciona. Isto significa medir e entender de maneira mais fácil quais são horários de pico, valor médio dos pedidos, tempo médio do giro das mesas e até fazer uma comparação do que foi comprado e servido, descobrindo, desta forma, o seu nível de desperdício.

Informações como estas são fundamentais para uma boa gestão. É possível conhecer melhor o que os clientes querem e o que pode ser aprimorado para que todos fiquem mais satisfeitos: tanto os consumidores quanto o seu negócio.

3. Eliminação de erros com a automação de restaurantes

Na hora de fechar a conta de uma mesa não é raro que um ou outro cliente queira discutir os pedidos que estejam sendo cobrados.

Pode ser um chope pedido que não tenha chegado, um suco cobrado a mais, uma sobremesa ou qualquer outra coisa do tipo. A questão é que a margem de erro existe e nenhum garçom poderá afirmar com toda certeza que lembra exatamente o que cada pessoa pediu. Por isso, no final, quem acaba arcando com o prejuízo é o estabelecimento.

Este tipo de situação acaba sendo muito mais normal do que deveria e, sem perceber muito bem, a margem de faturamento e o lucro do seu negócio podem estar sendo afetados de maneira significativa.

Com um serviço informatizado, pedidos sendo feitos instantaneamente e chegando até o cliente com mais velocidade, as chances de alguém se enganar ou ter de repetir o pedido para outro garçom ficam bem menores.

4. Cardápio digital

É muito pouco apresentável ter um cardápio rabiscado, com etiquetas ou outras marcações para atualização de preços, pratos ou qualquer outra informação.

Se você tiver um menu que varia entre as refeições ou durante os dias da semana, talvez tenha um cardápio muito grande ou precise ficar alternando.

É possível resolver este tipo de situação com um bom cardápio digital. Os preços podem ser alterados a qualquer momento, a lista de opções, observações e até a criação de promoções fica mais fácil de ser feita.

Não há desperdício com impressão de material que será descartado no decorrer do tempo e você pode também incluir várias fotos de todos os pratos.

Como pode ver, os benefícios da automação de restaurantes são vários e bastante significativos. Eles trazem vantagens tanto para donos e gerentes dos estabelecimentos como ajudam a melhorar bastante a experiência de consumo dos seus clientes.

Boa notícia: prazo do Bloco X é prorrogado

Boa notícia: prazo do Bloco X é prorrogado

Legislação

Em reunião com a Secretaria da Fazenda de SC, nesta quinta-feira, dia 2, lideranças de entidades empresariais e contábeis do Estado, dentre elas a Fecontesc, CRCSC, Abrasel e Fecomércio, conseguiram a prorrogação do prazo para o início da entrada em vigor do Bloco 10, conhecido como Bloco X, conforme os segmentos abaixo:

. Set/2019 – Comércio Varejista – Farmácia;

. Jan/2020 – Comércio Varejista de Materiais de Construção;

. Mar/2020 – Bares, Restaurantes e Similares;

. Jun/2020 – demais setores.

Pelo calendário do Fisco Estadual, o Bloco “10 ou X” começaria a vigorar a partir de junho deste ano.

Na avaliação dos representes, a Fazenda aceitou os argumentos apresentados pelas entidades, que apontaram as dificuldades das empresas, principalmente de pequeno porte, de se adaptarem à nova sistemática.

Os representantes também elogiram a postura do diretor de Administração Tributária da SEF, Rogério Mello, que acatou os argumentos expostos em documento entregue e assinado por todas as entidades contábeis, bem como por representantes do setor do comércio e serviços.

Este documento tinha sido apresentado ao governador Carlos Moisés, em audiência realizada há poucos dias. O texto foi elaborado em conjunto pela Fecontesc, CRCSC, Sescons, Acats, Fecomércio, Abrasel, FCDL e Afrac.

O Bloco X, também chamado de Bloco 10, consiste em arquivos eletrônicos que contém um resumo dos dados das vendas das mercadorias registradas em cupons fiscais emitidos pelos Equipamentos Emissores de Cupom Fiscal (ECF) que são enviados para a base de dados da SEF/SC. São arquivos eletrônicos gerados de forma automática pelos Programas Aplicativos Fiscais, que devem ser enviados diariamente, no caso de tributação e venda de mercadorias, e mensalmente para acompanhamento do estoque. No caso dos arquivos mensais de estoque, estão dispensados de envio determinados estabelecimentos, como restaurantes, bares, lanchonetes, casas de chá, de sucos e similares.

Fonte: Portal Contábil SC

O que é Automação Comercial? Conheça 5 vantagens em utilizá-la

O que é Automação Comercial? Conheça 5 vantagens em utilizá-la

Tecnologia

O que é Automação Comercial?

Automação Comercial segundo a Wikipédia, “é a aplicação de métodos e ferramentas para automatizar processos comerciais, isso é, mecanizar e agilizar processos manuais, alcançando total eficiência”, ou seja, utilizar a tecnologia na gestão do negócio. Mas quais as vantagens de automatizar o negócio, uma vez que o investimento para tal não é baixo e praticamente eterno?
Analisando o cenário de algumas empresas, antes e depois de automatizar, elencamos as principais vantagens de seguir nesse caminho.

1. Faturamento

Você realmente sabe o seu faturamento?

O ponto crucial para a sobrevivência do negócio é o faturamento. Se estiver ruim, é falência na certa! Mas se você souber os motivos que o trouxeram para esse quadro atual, já é um bom sinal. Mas, infelizmente, alguns gestores não estão antenados e não têm ideia de onde vêm os problemas. Eles podem estar no produto, no atendimento, no público-alvo, no preço ou até mesmo na má gestão do caixa. Para identificar esse problema, é necessária a análise de indicadores e estatísticas que lhe mostrarão a decisão a ser tomada.

Por menor que seja o negócio, é imprescindível acompanhar, diretamente, a evolução do faturamento, pois com um mapa em mãos, as tomadas de decisão são mais conscientes. Além disso, nos momentos em que o dono do negócio não está presente, a única forma de continuar acompanhando esses números, com a certeza de serem informações fidedignas, é através da automação e dos gráficos e dos relatórios que ela fornece. Portanto, não deixe de automatizar os processos que envolvem a entrada do capital no seu negócio, pois só assim você poderá agir em tempo hábil e garantir que 100% desse capital esteja, de fato, entrando na sua empresa.

2. Despesas

Você sabe onde está perdendo dinheiro?

Tão importante quanto controlar a entrada do capital, é também essencial controlar a saída dele. Alguns tipos de negócios permitem quantificar as saídas de estoque e de matéria-prima. Mas em outros segmentos do varejo, como no food service, essa quantificação é mais difícil, exigindo ainda mais controle. E, ainda, é preciso administrar as retiradas de estoque, as contas a pagar com todas as despesas, sejam elas salariais, fixas, indiretas ou diretas.
Além de monitorar o volume de despesa, é importante classificá-las. Assim, você saberá onde está o maior custo. Essas são as informações para, mais uma vez, tomar as decisões corretas.

Para cada tipo de negócio existe uma média da distribuição do custo, considerando mão de obra, matéria-prima e demais despesas. Pontue esses percentuais e acompanhe seus números.
Se o gasto com a mão de obra está acima da média, por exemplo, avalie a distribuição de tarefas e o dimensionamento das equipes. Feito isso, faça alterações no processo visando reduzir esse custo. Agindo assim com todas as despesas, certamente você conseguirá atingir o ponto de equilíbrio e começar a lucrar com o negócio.

Com a automação comercial, mais facilmente você terá em mãos a rentabilidade do seu negócio. Algumas ações são até possíveis de serem executadas manualmente, mas o tempo despendido às vezes se torna inviável. Mas se automatizado, você pode, por exemplo, mensurar o custo do produto e estabelecer o markup desejado ou, ainda, definir metas de venda e despesas para acompanhar a progressão de ambas.

3. Vendas

O que você está deixando de fazer?

Impulsionar as vendas é, sem dúvida, o diferencial. Entender o que seu público-alvo procura é o primeiro passo para impulsionar esse número. E aí vale usar a criatividade e a tecnologia.
As vendas através de aplicativos de celular, nos quais o contato com qualquer vendedor é nulo, ou ainda, através de web sites, sendo que ambos possibilitam entrega em domicílio ou retirada na loja, são meios de venda muito aplicados nos dias de hoje. Nesse tipo de venda existe a grande vantagem da redução do custo operacional, além da captação do seu cliente a qualquer momento, através de notificações. Resta analisar se esse tipo de venda atende seu negócio e seu público-alvo.

Terminais de autoatendimento na loja caracterizam outro tipo de automação no que se refere a vendas. Esse modelo combina bastante com aeroportos, onde o lema é a agilidade no atendimento, além de atendê-los também na redução do custo operacional.
E quando seu cliente está dentro de sua loja, ele quer ser atendido rapidamente, e você deve querer atender o máximo possível de clientes em curto espaço de tempo? Isso se torna mais fácil, ou praticável, quando o processo de venda é automatizado.

Mas se seu cliente é daqueles que saem de casa para obter a máxima cordialidade, uma variedade e qualidade ímpar nos produtos e o que menos importa a ele neste momento é o tempo, então você, no mínimo, precisa abordá-lo pelo nome, entender suas preferências e não ter pressa para atendê-lo.
Concluindo, o mais importante é identificar o modelo de automação ideal para seu tipo de venda e público. Mas deixar de automatizar é ficar congelado no tempo.

Faça a você mesmo as perguntas:
Você deixa de vender porque a fila é grande?
Você deixa de vender porque seu atendimento é aquém da expectativa de seu cliente?
Você deixa de vender porque não entrega em casa?

Perguntas como estas podem ajudá-lo a identificar o melhor caminho a seguir.

4. Atendimento

Possível ou impossível?

Há clientes que desejam o atendimento personalizado, nominal e dedicado. Seria como se você ligasse para pedir uma pizza e a atendente lhe recebesse assim: “Bom dia Sra. Marina, como vai? Vai pedir o de sempre? Ou seja, uma pizza marguerita com acréscimo de mussarela? Ou aceitará a sugestão de experimentar o produto “tal” que está na promoção, como, por exemplo, a pizza da casa?” Agora imagine esse tipo de atendimento sem automação comercial?

Concorda que é impossível?

Mas digamos que você está no aeroporto, na fila da lanchonete mais cotada, restando 10 minutos para o embarque, e você observa a operadora do caixa usando uma calculadora para somar a compra, receber o dinheiro e entregar o troco. Mais uma vez, impraticável!

Resumindo, seu cliente quer ser atendido ou ele quer fazer pedido?
Mas não vamos esquecer que a agilidade também deve estar presente no atendimento. Por mais preferido que possa ser seu restaurante, se o garçom demorar 10 minutos para chegar à mesa, e, ainda, você ficar mais 40 esperando para receber o prato que pediu, acredito que, provavelmente, você, da próxima vez, optará por outro restaurante. Então, se considerarmos que passamos muito tempo no trânsito, ao telefone, no trabalho… esperando, esperando, esperando… fica claro que é preciso aprimorar os serviços, os produtos e o atendimento. Ter a iniciativa de experimentar outras ferramentas, ou seja, sair do conforto e buscar alvos mais altos pode ser o maior passo a ser dado. Viu que nem tudo é tecnologia? Essa atitude só depende de uma predisposição interior, uma mudança de dentro para fora. Saia da casca!

5. Tomada de Decisão

Quanto tempo deve durar um empreendimento?

Esperar o meio do mês seguinte para apurar o resultado do mês anterior pode fazer seu negócio não sobreviver 1 ano sequer. Os números devem sempre estar à mão e, claro, devem ser analisados e utilizados para mudar o que não está dando certo e em tempo hábil.

Lançar promoções quando as vendas estão baixas, dar vazão naquele produto que está com a data de validade apertada, direcionar os funcionários para o salão, alterar os preços por determinados horários e dias da semana ou renegociar os prazos com alguns fornecedores são ações que, somente em processos automatizados, são possíveis de serem tomadas.

Uma sistema de automação comercial eficiente e moderna permite a integração de todas as áreas, criando um fluxo de processo e da informação dentro da sua empresa. Nos processos fiscais, por exemplo, a legislação vem cada vez mais enforcando o varejo, obrigando a informatização do ponto de venda. Use a exigência da automação fiscal a seu favor, atrelando essa necessidade aos benefícios que a automação oferece. Certamente, automatizar através de uma solução utilizada pelos grandes players do mercado pode fazer você não só romper a casca, mas fazê-lo crescer e multiplicar seus lucros e negócios.

NF-e será obrigatória para optantes do Simples Nacional a partir de Outubro/2018

NF-e será obrigatória para optantes do Simples Nacional a partir de Outubro/2018

Legislação

A partir de 01/10/2018, os contribuintes optantes pelo Simples Nacional serão obrigados a utilizar a Nota Fiscal Eletrônica; obrigatoriedade não vale para quem está no MEI

A Secretaria da Fazenda ampliou a exigência de emissão de Nota Fiscal eletrônica (NF-e), em substituição à Nota Fiscal modelo 1/1A em papel, para os contribuintes do Simples Nacional. A Portaria CAT nº 36/2018, publicada no Diário Oficial de 5/5, determina que a partir de 1º de outubro as empresas optantes pelo regime estarão obrigadas a registrar suas operações por meio do documento eletrônico.

A medida abrange as cerca de 300 mil Microempresas e Empresas de Pequeno Porte do Estado de São Paulo, que não poderão mais emitir documentos em papel. O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo (Sebrae-SP), que disponibiliza o emissor gratuito de NF-e desenvolvido pela Fazenda, poderá auxiliar os contribuintes a se adequarem à nova exigência.

A obrigatoriedade de emissão de NF-e a partir de 1º/10 não se aplica ao Microempreendedor Individual – MEI.

A Portaria CAT- 162, de 29 -12-2008, que trata da obrigatoriedade da Nota Fiscal Eletrônica, vigora com a seguinte alteração:
Art. 7º – Deverão, obrigatoriamente, emitir Nota Fiscal Eletrônica – NF-e, modelo 55, em substituição à Nota Fiscal, modelo 1 ou 1-A, os contribuintes que:

“VII – a partir de 01.10.2018, forem optantes do Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas Microempresas e Empresas de Pequeno Porte – “Simples Nacional”.” (NR). (Redação dada pela Portaria CAT nº 36 de 04/05/2018).

Prepare-se para a chegada da NFS-e Nacional (Nota Fiscal de Serviços Eletrônica padronizada)

Prepare-se para a chegada da NFS-e Nacional (Nota Fiscal de Serviços Eletrônica padronizada)

Legislação

Você sabe o que é a NFS-e Nacional? Como o nome indica, trata-se de uma Nota Fiscal de Serviços eletrônica padronizada, com validade em todo o país. O projeto, que já vem sendo debatido há um bom tempo, foi anunciado oficialmente no final de 2016.

No mês de dezembro de 2017, estava previsto que cidades como Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), Brasília (DF), Belo Horizonte (DF), Porto Alegre (RS), Maringá (PR) e Marabá (PA) começariam a testar a novidade, mas isso ainda não ocorreu. Em caráter experimental, a padronização desse documento tem como objetivo conferir mais agilidade ao processo de emissão de notas fiscais, inclusive extinguindo as versões impressas.

A ideia é seguir a mesma trilha da NF-e, a Nota Fiscal eletrônica, que hoje já uma realidade para estabelecimentos comerciais e para a indústria.

Em busca de um padrão nacional

Um dos grandes empecilhos para o desenvolvimento das atividades econômicas relacionadas a serviços é a falta de padronização na emissão de notas fiscais. Enquanto alguns estados e municípios já tem as suas versões eletrônicas, outros ainda estão restritos aos blocos de nota de papel – que são mais onerosos e requerem impressão em gráficas especializadas.

Ao menos por enquanto, a aguardada NFS-e ainda não tem um padrão, nem em termos de layout nem com relação à segurança e a autenticação. O empecilho maior se dá em função do ISS (Imposto sobre Serviços), um tributo cujas regras são definidas pelos municípios. Como cada localidade têm autonomia para isso, encontrar uma forma de padronizar a cobrança e a informação em todo o país tem se mostrado complexa.

Sage está atenta a essa mudança

São poucas as empresas que trabalham com software de contabilidade e finanças que têm condições de entrar em contato com um grande volume de prefeituras em todo o Brasil. A Sage, por exemplo, é uma delas, o que pode significar uma vantagem considerável para o consumidor assim que o novo modelo for implantado.

A Abrasf (Associação Brasileira das Secretarias de Finanças das Capitais) tem ressaltado em seu posicionamento a necessidade de se observar fatores como:

  • A necessidade de um padrão nacional ao qual as prefeituras possam aderir gratuitamente;
  • Que a solução escolhida seja ampla a ponto de levar em consideração as especificações e as tecnologias disponíveis em cada município;
  • Que as prefeituras sejam as responsáveis pela implementação, pela aquisição de softwares e pela adoção de padrões de segurança;
  • Que o método reduza custos dos contribuintes e facilite a troca de informações com a Receita Federal.

Certificação é um tema a ser discutido

Alguns municípios brasileiros que já contam com um sistema eletrônico de notas fiscais dispensam qualquer tipo de certificação digital para a transmissão do documento. Embora essa medida reduza custos, por outro lado, diminui a segurança e compromete a autenticidade, especialmente quando o caso é debatido na esfera jurídica.

Aliás, essa é uma das maiores críticas dos usuários: atestar a autenticidade. Por conta disso, investir em uma certificação digital é um caminho natural entre os preparativos para a chegada da NFS-e. Vale lembrar que a Sage tem soluções completas, com valores mensais de assinatura acessíveis a empresas de todos os tamanhos, e que já contam com soluções de certificação.

Vantagens para o governo e para a sociedade

A conclusão desse processo, que ainda não tem data para ocorrer, traria diversas vantagens tanto para o governo quanto para a sociedade. Entre elas podemos destacar o maior controle sobre as empresas e os impostos municipais, mais precisão na análise de dados econômicos, aprimoramento no combate à sonegação e evolução na fiscalização.

Já para as empresas, as vantagens incluem a unificação das obrigações relacionadas à nota fiscal de serviços, a redução dos custos com guarda e manuseio de documentos, agilidade na gestão tributária, padronização na classificação dos serviços e nos processos de emissão e criação de novas oportunidades de emprego e investimento advindas do novo modelo.